Prêmio IDIS para a jornalista de EFEsalud Laura Martinez Tebar

A jornalista Laura Martinez Tebar, de EFEsalud, ganhou uma menção honrosa na II edição dos prémios anuais da Fundação IDIS, “Prêmio Jornalístico IDIS-Healthcare Quality”, uma entrega, que teve lugar na terça-feira, na Associação de Imprensa de Madrid (APM)

Laura Martinez Tebar junto a Emílio de Bento, presidente de ANIS, que lhe entregou o prêmio/Foto fornecida pelo IDIS

Artigos relacionados

Sexta-feira 02.03.2018

Segunda-feira 20.06.2016

Terça-feira 28.06.2016

O trabalho de Laura Martinez Tebar que tem sido premiado foi publicada em EFEsalud em 25 de janeiro passado e leva o título de “se Informar com rigor sobre saúde na internet: assim é o paciente expert”.

É um pequeno guia para aceder a informações de saúde de qualidade na rede.

O Prêmio da II edição destes prémios foi para a jornalista Laura Gutiérrez Ibañez, por um trabalho publicado no “Jornal do Médico”, com o título “o Faltam ou não faltam médicos?”.

Ana Medina, de “Expansão”, obteve-se um terceiro reconhecimento através de uma menção especial.

O objetivo do Prêmio Jornalístico IDIS-Quality Healthcare é o reconhecimento da divulgação da qualidade dos cuidados de saúde em Portugal. “O prêmio valoriza -conforme explica o IDIS – o trabalho dos profissionais da comunicação que, com suas obras jornalísticas contribuem para a divulgação da percepção do cidadão sobre a realidade assistencial, segurança e qualidade das instituições de saúde, os resultados de saúde, parceria público-privada e de inovação em matéria de saúde, entre outros aspectos”.

Martínez Tebar, que recebeu o prémio das mãos do presidente da Associação Nacional de Informadores de Saúde (ANIS), Emilio de Benito, disse em seu discurso, após receber o diploma, que “a informação sobre a saúde, além de um direito para o paciente, é um dos temas que mais interesse desperta na sociedade; os meios de comunicação, temos o dever de atender a esta demanda social com o maior rigor e profissionalismo exigível”.

“A abertura de novos cenários de acesso à informação coloca sérios desafios para o paciente já que grande parte dos bulos que circulam pela Internet afetam a saúde. Por isso, jornalistas e saúde partilhamos a missão de informar e formar o paciente, fornecer ferramentas para ser ‘um paciente informado e empoderado’ e, em definitiva, alejarle do ‘ruído’ e da desinformação, que se multiplica em rede”, acrescentou Laura Martínez, que assegurou que este reconhecimento “é um grande incentivo que me impulsiona em meu trabalho”.

Redes sociais e ciberperiodismo

Antes da entrega do Prêmio, teve lugar um debate intitulado “Redes sociais, ciberperiodismo e novos gêneros”, moderado pelo diretor de Desenvolvimento Corporativo e Comunicação da Fundação IDIS, Fernando Mugarza, em que intervieram Anna Valderrama, chefe do Departamento de Televisão em Portugal e Espanha da Reuters TV; Ana López, responsável Periodistamovil.com Raquel Seco, coordenadora de redes sociais de “O País”; e José Antonio Praça, coordenador de Redação do “Jornal do Médico”.

Na abertura do ato, o presidente do Instituto para o Desenvolvimento e Integração da Saúde (Fundação IDIS), Luis Mayero, defendeu a responsabilidade, a ética e o rigor no exercício do jornalismo e se recusou a “infoxicación”.

O presidente da Federação de Associações de Jornalistas da Espanha (FAPE), Nemesio Rodrigues, exaltou o contraste e a seleção de notícias por parte dos jornalistas como freio aos conteúdos falsos na internet, ao mesmo tempo em que denunciou a redução dos investimentos e das redações no jornalismo.

No curso do debate, Ana Lopes salientou que a transformação digital “é uma oportunidade para o jornalismo”, enquanto José Antonio Praça foi mais longe e considerou uma “obrigação” para adaptar-se ao jornalismo digital.

Anna Valderrama colocou o acento em que, diante da grande concorrência das redes sociais na difusão de conteúdos, há que redobrar os esforços para trabalhar com responsabilidade e de forma impecável.

“A chave é exercer o jornalismo”, disse Raquel Seco, que apontou que a transformação digital implica em uma mudança social e cultural.

Estes jornalistas defenderam uma acreditação para páginas web de qualidade e considerou que os meios de informação devem marcar a agenda jornalística do que fazem atualmente.

Aqui você pode acessar outros trabalhos de Laura Martinez Tebar em EFEsalud

A falta de papéis femininos na ciência afeta a saúde da mulher

As vozes da dor

Amianto: assim afeta a saúde o principal cancerígeno de trabalho

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply