Prescrever unidosis de um fármaco poupe 24%

Prescrever em atenção primária unidosis de um fármaco, por exemplo, omeprazol, em lugar do recipiente tradicional multidoses pode representar uma economia para o Sistema Nacional de Saúde (SNS) até 24 por cento naquele determinado medicamento

EFE / Miguel Gutiérrez

Artigos relacionados

Sexta-feira 07.09.2018

Quinta-feira 06.09.2018

Quarta-feira 05.09.2018

Isso decorre do estudo “Avaliação do impacto derivado da utilização de produtos de dose unitária, em dois centros de atenção primária”, realizado por José Luis Segú, da Unidade de Farmácia Clínica e Farmacoterapia da Universidade de Barcelona.

De acordo com os resultados do trabalho, o uso de doses unitárias independentes evitaria o 14 por cento das unidades prescritas ou, o que é o mesmo, que cada paciente pudesse construir em sua casa mais de 19 doses desnecessárias por ano.

Embora o estudo foi realizado em dois centros de saúde da Catalunha, os resultados podem ser extrapolados para o conjunto de Espanha no caso de que todos os serviços se comportassem da mesma forma que os dois analisados.

Milhões de doses desnecessárias

O professor Segú explicou que a poupança não é homogêneo para cada um dos 19 medicamentos comparados, mas você pode criptografar uma média de 24 por cento, já que o preço das unidosis é igual ou inferior ao que custa cada comprimido de uma embalagem convencional.

Assim, por exemplo, “vinte unidosis de omeprazol custam exatamente o mesmo que uma caixa de vinte e, até mesmo, um pouco menos”.

“Que ocorre uma economia é bastante senso comum”, sublinhou este professor, que assinalou que o estudo revela que os dois centros analisados foram evitadas quase 600.000 doses desnecessárias.

Os dados extrapolados para o conjunto da atenção primária de Catalunha, com o presidente de uma economia de 22 milhões de euros e 133 milhões de doses.

A principal vantagem das unidosis é que você pode ajustar totalmente a dispensação do medicamento, a posologia do tratamento prescrito pelo médico, disse Rosa Pardina, farmacêutica e diretora geral de Onedose Pharma, que conta com a patente no Brasil para a comercialização de medicamentos genéricos em doses unitárias.

Até o momento, são seis os genéricos em unidosis autorizados pela Agência Espanhola do Medicamento que estão no mercado: um antibiótico (agente), dois protetores gástricos (pantoprazol e omeprazol), analgésicos (paracetamol), um anti-inflamatório (ibuprofeno) e um antidepressivo (venlafaxina).

O novo formato permite descrever em seu exterior de forma simples e clara a informação do medicamento e inclui o nome do mesmo em braille, o que o torna acessível a pessoas invisuais, explicou Pardina.

O professor Segú anunciou quetêm maior utilidade para patologias agudas em que se prescreve um tratamento específico para as crônicas.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply