Primeiro centro em Portugal de protonterapia em Madrid em 2019

O primeiro centro de protonterapia em Portugal contra o cancro estará localizado em Pozuelo de Alarcón (Madrid) e atenderá aos primeiros doentes em 2019, informou em um comunicado, o Grupo Quirónsalud, propulsor dessa tecnologia médica de tratamento radioterápico

Imagem/projeto do centro de protonterapia fornecidas pelo Grupo Quirónsalud

Quarta-feira 29.03.2017

Segunda-feira 04.06.2018

Quarta-feira 30.05.2018

Este centro contará com um investimento de 40 milhões de euros; a terapia com prótons é considerada a técnica magnus amaral campos mais avançada para vários tipos de câncer e especialmente indicada em crianças e adolescentes.

O novo centro será aberto a pacientes, tanto na saúde pública como privada, informa Quirónsalud, e seus profissionais trabalharão de forma coordenada com os médicos de referência de pacientes para garantir a continuidade da atenção.

Esta tecnologia baseada em prótons está presente em mais de 20 centros europeus de países como a França, Alemanha ou Itália.

Entre os benefícios, destaca-se a mínima radiação em torno do tumor, uma menor dose total de radiação por tratamento e a melhoria da qualidade de vida do paciente.

Aplicada em doses específicas, os prótons podem agir com precisão, no interior dos tecidos, conseguindo uma maior actividade anti-tumoral e gerando um menor dano no tecido saudável.

Este sistema específico de terapia de prótons,denominado ProteousOne, é um sistema único e compacto de tratamento que, ao contrário de outros, reúne em uma única sala multifuncional toda a tecnologia necessária para o tratamento do PTR em um centro oncológico.
O equipamento incorpora um sistema de digitalização do tumor que facilita ao médico a aplicação da dose mais adequada a cada área a tratar e conta com os mais avançados sistemas para a tomada de imagens.

Além disso, a máquina pode girar 360 graus sobre o paciente, aplicando-se o feixe de prótons a partir de qualquer ângulo.
A terapia de prótons está indicada em mais de 15 por cento dos pacientes submetidos à radioterapia.

De acordo com estudos internacionais e evidências científicas, esta terapia é o tratamento de escolha em cordoma e pacientes com a síndrome hereditária, melanoma intra-oculares não adequados para a braquiterapia de placa e tumores em crianças e adolescentes, craneoespinal, glioma de baixo grau, ependimoma, craneofaringioma, tumores de células germinativas, tumores de hipófise e tumores pineal, ao aparecimento dos tumores malignos, sarcoma de Ewing, sarcomas de pelve e linfoma mediastino, entre outros tumores.

“Este novo equipamento permitirá desenvolver em um novo campo para o nosso trabalho de investigação”, diz a doutora Leticia Morais, directora-geral de Assistência, Qualidade e Inovação deste grupo hospitalar, que ressalta a contribuição desta terapia para a melhor assistência e atenção aos pacientes.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply