proteger o corpo, cuidar da postura e treinar para não se lesionar

Nas procissões da Semana Santa, os costaleros podem sofrer lesões, desde leves até graves, ao estar várias horas aguentar o peso. Para evitá-las, especialistas recomendam usar elementos de proteção, como a faixa lombar, além de cuidar da postura e treinar previamente com carga

Os costaleros carregam o trono de São João “Californios” pelas ruas de Cartagena, na madrugada de Quinta-feira santa. EFE/SÉRIE

Artigos relacionados

Terça-feira 15.04.2014

Segunda-feira 14.04.2014

Quarta-feira, 27.03.2013

Terça-feira, 26.03.2013

As áreas do corpo do costalero que mais sofrem quando se está debaixo de um passo são da coluna vertebral -tanto a zona cervical, como a lombar e dorsal – e os joelhos, conforme explica a Efe o traumatólogo do Instituto Valenciano da fundação rotária, prestou assistência Esportiva e membro Saluspot Miguel Ángel Buil.

Assim, se você não se previnem, podem ocorrer lesões que vão desde hematomas, contrações musculares ou entorses, até outras mais sérias, como podem ser a ruptura de menisco, hérnia de disco ou fratura vertebral.

Por isso, Buil aconselhável usar tecidos moles ou almofadados para proteger as zonas do corpo que suportam o peso, como a morcela ou da fáscia lombar, que também é utilizada por trabalhadores que carregam pesos de todo o tipo.

Além disso, para os carregadores, aqueles que carregam os passos a um ou dois ombros, recomenda ir “mudando de lado o peso, dependendo dos dias”, além de colocar um calçado macio, tipo esportiva.

Quanto à postura, nos casos em que os costaleros levantam a imagem religiosa do chão, estando agachados, o especialista insiste na necessidade de cuidar da postura ao levantá-la, já que “se feito com um mau gesto, as lesões estão quase garantidos”.

São recomendações muito parecidas com as que dão “aos que vão iniciar uma competição”, explica o médico.

Dicas

O secretário-geral do Colégio de Fisioterapeutas da Comunidade de Madrid, José Santos, explicou à Efe que a idade recomendada para ser costalero é a partir dos 20 anos, pois, antes de o corpo não terminou de crescer, e a idade máxima varia de acordo com a constituição física de cada um e a existência de patologias que impeçam suportar peso.

Aconselha a fazer no dia anterior à procissão uma refeição rica em hidratos de carbono, que vai trazer energia; beber água e não tomar álcool, que desidrata e, como consequência, podem aparecer cãibras musculares.

Santos afirma que, por regra geral, os costaleros são pessoas que não estão acostumadas a transportar tanta quantidade de peso, pelo que recomenda que comecem a treinar em dezembro ou janeiro e façam atividade física durante todo o ano, já que o sedentarismo é um fator que propicia o aparecimento de lesões.

Se se chega a produzir lesão após a procissão, o tratamento vai depender da seriedade desta; assim, se se trata de contusões, o traumatólogo salienta que se deve colocar gelo sobre a área ou um creme anti-inflamatória e, no caso de uma contratura muscular, o melhor é aplicar o calor e a intervenção de um fisioterapeuta.

Em caso de entorses ou casos mais graves, como fraturas ou hérnias, o normal é ir ao serviço de urgência, para, posteriormente, manter um controle médico até a cura total da lesão.

Estes dois especialistas apontam que, em alguns casos, entra em contradição o trabalho de prevenção de saúde com o “motivo espiritual destes atos religiosos, o que é sacrificar-se e a sofrer”, que reconhecem que às vezes é “um pouco difícil” saibam entender o costalero.

“Damos estas recomendações para que os costaleros aproveitar ao máximo esta experiência. Há que se cuidar”, diz Santos.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply