Reduzir a prevalência da cegueira evitável

Retina afetada pela DMRI seca ou atrófica. Fotografia cedida por Vissum.

Terça-feira 27.12.2016

Quinta-feira 17.11.2016

Segunda-feira 14.11.2016

Segunda-feira 31.10.2016

Este projeto saúde visual para 2017 é uma iniciativa da Fundação Retinaplus+, que preside a doutora Marta S. Figueroa, com o fim de conscientizar a sociedade, os profissionais de saúde e as instituições sobre a importância do diagnóstico precoce e do tratamento rápido em doenças da retina.

Em declarações à Efe, o médico (A), também chefe do departamento de Retina do Hospital Ramón y Cajal de Madrid e diretora médica do centro oftalmológico Vissum Madrid, defendeu a prevenção e a informação como ferramentas básicas para avançar na luta contra estas doenças dos olhos.

As três doenças decorrentes de problemas na retina são a Degeneração Macular Associada à Idade (DMRI), a retinopatia diabética e a alta miopia; de acordo com um relatório sobre a cegueira em Portugal da Fundação Retinaplus+, realizado em colaboração com a ONCE, há um milhão de pessoas com deficiência visual por causa destas doenças.

Cerca de 5 milhões de pessoas estão em risco de sofrer de cegueira em Portugal por estas três doenças da retina. Mais de um milhão sofrem retinopatia diabética, a causa mais frequente de cegueira entre adultos de 20 a 75 anos; cerca de 680.000 sofrem DMAE, e cerca de 900.000 têm miopia magna, a partir das seis dioptria, o que representa entre 2 e 3 por cento da população.

A doutora (A) remarca as diretrizes de prevenção para evitar a cegueira e combater precocemente as patologias da retina.

No diabetes, que já afeta o 13 por cento da população portuguesa, e, por isso, retinopatia diabética, explica, é a chave para o controle da glicose, mas também da tensão arterial, o colesterol e os triglicerídeos.

“Um paciente pode ser diabético, mas com uma vida saudável, uma alimentação saudável e exercício físico regular pode manter-se em bons níveis ao longo de muitos anos”, salienta.

Quanto à DMAE, a doutora aposta para tentar impedi-lo por uma dieta rica em frutas e vegetais, antioxidantes, omega 3 e zinco, e com alimentos como brócolis, espinafre, cenoura, manga ou peixe azul.

“A coisa mais importante da DMRI é que, ao primeiro sintoma, perda súbita de visão, aparecimento de manchas ou distorção de imagens se consulte um especialista”, aconselha; e, quanto à alta miopia, tem que estar muito inclinação da visão, por se observam fogonazos ou manchas, para reagir com rapidez.

Em relação aos tratamentos, o médico (A), também professora da Universidade de Alcalá de Henares, destaca-se que, aplicados no início da doença pode chegar a manter uma boa visão ao longo de muitos anos; neste ponto destacam-se as injeções intra-oculares de antiangiogénicos e o uso do laser.

Entre os atos e iniciativas promovidas com motivo do Ano da Retina, Figueroa ressalta-se a criação de uma Plataforma Multidisciplinar de Diabetes em parceria com todos os especialistas que lidam com esta doença; assim como a celebração em vários locais de Portugal de congressos nacionais e internacionais e reuniões com associações de doentes.

O lançamento de todos esses esforços para lutar contra as doenças da retina teve lugar na terça-feira em Madrid, no Auditório Nacional, em um ato presidido pelo conselheiro de Saúde da Comunidade de Madrid, e Jesús Sánchez Martos; a Defensora do Povo, Solidão Becerril, e a diretora geral de Saúde Pública, Qualidade e Inovação, Elena Andradas; e que contou com um concerto da soprano Ainhoa Arteta.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply