Sim é possível rejuvenescer

Recuperar vinte anos de desgaste interno é uma realidade. Não se trata de uma máquina do tempo ou de um elixir da juventude eterna, mas de um tratamento preventivo que sincroniza a idade do organismo com o que aparece no documento de identidade

EFE

Artigos relacionados

Quinta-feira 06.09.2018

Terça-feira 04.09.2018

Segunda-feira 03.09.2018

Os seres humanos podem viver entre 100 e 120 anos, sempre e quando corrigidos a tempo os processos de envelhecimento prematuro do organismo. A diferença entre o século que poderíamos alcançar a viver e a idade a que chegamos, finalmente, é determinada em grande parte por hábitos de vida.

Isto significa que, embora o RG de uma pessoa dizendo que tem 60 anos, seu organismo pode corresponder ao de uma pessoa 20 anos mais velha, ou, pelo contrário, o de um adulto vital e energia de 40.

A medicina anti-envelhecimento estuda o processo evolutivo natural das pessoas, descarta os fatores prejudiciais que produzem a deterioração precoce, elimina os sintomas orgânicos de deterioração e previne o aparecimento dos sinais de desgaste prematuro.

O médico realiza uma série de testes para determinar quais são os marcadores biológicos de cada paciente (biomarcadores) a nível bioquímico, biofísico e funcional. “Também estudamos geneticamente a pessoa para que, conhecendo suas necessidades, possamos satisfazê-las, nutricionalmente e manter, assim, um processo de envelhecimento regulamentado”, explica o doutor Mariano Bueno, diretor do centro especializado em anti-envelhecimento, Biosalud, com sede em são paulo.

A genética afeta 25% da longevidade do ser humano, enquanto que os restantes 75% é determinada pelo estilo de vida. O presidente da Sociedade Espanhola de Medicina anti-Envelhecimento e Longevidade (SEMAL), José Serres, sustenta que esse 75% pode-se modificar em função de como se trata o organismo. “Se fumava, se não fizermos exercício e se comemos mal vai diminuir a nossa esperança de vida”.

O doutor Mariano Bom adicione os outros fatores que aceleram o envelhecimento biológico.

  • Todas as doenças envelhecem.
  • O estresse é oxidante: o excesso de radicais livres ocorre oxidação nas células. Em medicina anti-envelhecimento é medido no sangue o nível de oxidação celular e a capacidade antioxidante para estabelecer se o paciente precisa de um tratamento antioxidante.
  • O excesso de acidez no organismo: ocorre devido a um abuso no consumo de proteínas e hidratos de carbono refinado, assim como por viver depressa, com stress e pouca relaxamento. Também é causado devido ao pouco exercício e, no caso dos que fazem muito, pelo acúmulo de acidez nos tecidos. As radiações dos telemóveis e as ondas de rádio e televisão também produzem acidez. A abundância de acidez se neutraliza com o consumo de substâncias e alimentos alcalinos como cereais integrais, frutas, fora das refeições, reduzir o consumo de proteína, evitar as bebidas gaseificadas e tentar beber água alcalina.
  • Defeito na produção de colágeno: o colágeno é uma proteína formada por cadeias de aminoácidos e dentre eles está a glicina. Os seres humanos em geral têm um défice diária de 10 gramas de glicina, que não pode ser suprida apenas com a alimentação. De acordo com o doutor é Bom, o mercado só há um produto que pode suprir esta falta de glicina. O recomendado é dar glicina ao organismo para que possa produzir colágeno.

Como funciona

As diferenças entre a idade biológica e cronológica determinam —de acordo com o presidente da SEMAL, José Serrás— com testes de análise clínica, avaliação de funções no organismo , status hormonal, medição de ácidos graxos do organismo, medição de antioxidantes, ensaios laboratoriais, cálculo da elasticidade da artéria carótida, e outras provas de flexibilidade.

As provas anteriores servem para saber o estado em que chega o paciente, agende um tratamento personalizado e, em seguida, repetir algumas análises para comparar as melhoras. “Me satisfaz — declara Bem— que a gente diga que está muito melhor, mas a mim o que me vale é que, se antes o paciente tinha altos índices de acidez, então apareça na análise que foi corrigido porque “essa é a prova evidente e objetiva que efetivamente é assim“.

O ideal, segundo o médico Serres, é iniciar este tipo de tratamento desde que está no ventre materno e controlar que a mãe não fume, não beba e não esteja em contacto com substâncias tóxicas. Desde crianças, é necessário fazer uma alimentação saudável, “o que em Portugal não se cumpre”, e entre os 30 e 40 anos, iniciar um tratamento.

Mariano Bueno explica que as pessoas chegam para consulta a partir dos 50 anos e quanto mais tarde vêm “menos coisas podemos fazer”; no entanto, de acordo com a sua experiência, todos os pacientes que fizeram o tratamento, concluíram que vale a pena e “o fato é que continuam vindo”.

Quando um paciente é colocado nas mãos da medicina anti-envelhecimento, a primeira coisa que se nota são mudanças internas que aumentam a sensação de rejuvenescimento como uma maior vitalidade e melhorar a capacidade de memorização. A pele também apresenta melhorias consideráveis, mas como enfatiza Bom “isso não tem nada a ver com a estética”.

O especialista comenta que quando se fala de medicina anti-envelhecimento, geralmente está relacionado com tratamentos estéticos e, ao contrário, as mudanças que se produzem sempre são “de dentro para fora” que se podem complementar com cirurgia ou procedimentos externos, mas “nosso objetivo é resolver as coisas de dentro para que se exterioricen de forma saudável”.

Ao falar de preços, o doutor Serres afirma que não é um tratamento caro e depende, em grande medida, das provas a que o paciente se queira submeter e ao programa de cuidados que se estabeleça. “Planteándolo como uma medicina preventiva não é um tratamento caro, ao contrário, permite-lhe poupar dinheiro para o futuro”.

Dicas para envelhecer “responsavelmente”

  • Nutrição: não se trata de comer para encher o estômago, mas, sim, de dar ao organismo os nutrientes que precisa.
  • Levar uma vida saudável e fazer exercício com moderação. O ideal é que seja diário, de cerca de 45 minutos, sem grande esforço. Todos os exercícios que forçam o organismo tem um efeito contrário: um excesso de produção de radicais livres que causam o envelhecimento.
  • Consumir algum tipo de produto regenerador de glicina.
  • Felicidade: ser feliz e realizar-se como pessoa. Ser positivo e ter uma boa auto-estima.

O centro de estatística da União Europeia, Eurostat, revelou recentemente que os cidadãos espanhóis estão entre os europeus com maior esperança de vida depois dos 65 anos, atingir uma média de 87 anos para as mulheres e de 83 para os homens.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply